Saltar para o conteúdo
  • Trabalhos de manutenção

    A nossa página encontra-se atualmente em modo de manutenção. Voltaremos a estar à sua inteira disposição muito em breve.

29.10.2020

Abacate, um alimento energético

AdobeStock_310843989_Avocado_kleiner.jpg

A «pera-manteiga»

Hoje em dia é, provavelmente, um dos tipos de fruta mais apreciados, apesar de ainda há 40 anos nem sequer existir no espaço europeu. Entretanto, o abacate tornou-se tão popular que pode ser designado por alimento da moda. Não é por acaso que também é carinhosamente conhecido por «ouro verde», «manteiga do bosque» ou, justamente, «pera-manteiga». A polpa tenra, verde e, precisamente, amanteigada, derrete-se autenticamente na língua. Em virtude do seu sabor relativamente neutro e das inúmeras possibilidades de confeção picantes e doces, sabe bem a praticamente toda a gente. Tem o aspeto de um legume e sabe mesmo a legume, no entanto, do ponto de vista botânico é classificado como fruto. Assume-se que existam em todo o mundo cerca de 400 tipos diferentes de abacate, que divergem muito na forma e no tamanho. Em termos de peso, tudo é possível entre os 200 g e os 2 kg.Mas de tudo o que é capaz esta fruta milagrosa, o que podes tomar em consideração na compra e porque deves consumir o «ouro verde» com ponderação, tudo isso foi aqui compilado por nós, para ti.

Abacate:

1.... é bom para os teus músculos.

2.... pode baixar o nível de colesterol.

3.... fortalece as tuas gengivas.

4.... protege as tuas células corporais dos radicais livres.

5.... contribui para uma boa visão.

6.... fortalece os teus nervos.

7.... não tem um bom balanço de CO2.

8.... nem todos têm acesso a ele.

9.... NÃO tem, no geral, um bom balanço ambiental!

Simplesmente saudável!

Se um dia precisares mesmo de um tónico para os nervos, pega antes num abacate em vez de numa tablete de chocolate. O abacate está cheio de nutrientes e propriedades magníficos. Nele encontram-se vitamina B e lecitina, que são a alimentação perfeita para o cérebro e os nervos. Além disso, em 100 g de abacate há cerca de 550 mg de potássio. Sobretudo os músculos e os nervos estão dependentes do sal mineral potássio, pois, para funcionarem convenientemente, as nossas células têm de ser abastecidas com potássio. Além do potássio, da lecitina e da vitamina B, o abacate fornece ainda outros nutrientes importantes, entre os quais ácido fólico, vitamina K e vitamina E.Junto com estes numerosos nutrientes, a «pera-manteiga» fornece ainda um sem-número de ácidos gordos saudáveis não saturados. Estes ácidos gordos são indispensáveis para uma alimentação anti-inflamatória e, dessa forma, são bons para o coração. Para um alimento vegetal, o abacate é, na verdade, muito rico em gordura e tem muitas calorias (138 kcal por 100 g), porém, sem esta gordura o abacate não seria tão saudável como é. Por um lado, os ácidos gordos não saturados são superimportantes para um coração saudável, por outro, a enzima lípase, presente nos ácidos gordos não saturados, estimula até o metabolismo dos ácidos gordos. Esta enzima controla o metabolismo dos ácidos gordos logo aquando da digestão. Em virtude disso, a gordura do abacate não é armazenada e, ao mesmo tempo, a enzima acelera ainda a perda de gordura no corpo. Ou seja, quem pensar que tem de abdicar do consumo de abacates por causa do seu elevado teor de gordura, está a sofrer em vão. ;-)A propósito, o abacate é também um acompanhamento perfeito para legumes. Numerosos tipos de legumes contêm nutrientes lipossolúveis como vitamina A, vitamina E e vitamina K. Em combinação com um abacate, o teu corpo pode absorver e aproveitar estes nutrientes valiosos da melhor maneira. Ou seja, fruta e legumes combinam maravilhosamente num prato. :-)

Primeiro verde, depois maduro demais

Seja no mercado semanal, na loja biológica, no supermercado ou no discounter, hoje em dia podes encontrar abacate em todo o lado e, além disso, durante o ano inteiro. O problema mais frequente ao comprar abacate é, no entanto, que nunca sabemos ao certo se não estamos a comprar gato por lebre. Apesar das etiquetas que declaram o abacate como «pronto a consumir», nunca sabes se o abacate tem realmente o grau de madureza perfeito. Só o ficarás a saber depois de cortares o fruto. Por isso, é tanto mais importante ter atenção ao pedúnculo. Se o pedúnculo se soltar facilmente e deixar ver uma polpa verde bonita, isso já é uma boa base para uma polpa saborosa. Se descobrires bolor, é desaconselhável comprares o abacate. Mas mesmo que o pedúnculo não chame a atenção, a polpa pode surpreender-te com manchas castanhas. Estas manchas indicam que o abacate já se está a estragar. Se a casca se deixar amolgar com demasiada facilidade, é também um indicador de um fruto demasiado maduro. Visto que os abacates, como outros frutos, p. ex., maçãs e bananas, continuam a amadurecer depois de colhidos, recomenda-se que compres um abacate mais para o sólido e que o armazenes idealmente junto de maçãs e bananas, e o deixes amadurecer. Assim que o abacate for colocado no frigorífico, o processo de amadurecimento é interrompido. Por isso, guarda os teus abacates ainda não cortados sempre à temperatura ambiente.

Dicas de preparação

Lavar é fundamental! Antes de começares a preparar o teu abacate tens forçosamente de o lavar, pois podem haver pesticidas infiltrados na casca, os quais podem passar para a polpa ao cortar. Após a lavagem podes cortar o teu abacate como habitualmente, no sentido longitudinal e à volta do caroço. Agora a polpa pode ser facilmente retirada com uma colher. Se precisares de apenas uma metade, recomenda-se que guardes a outra metade com o caroço e a regues com sumo de limão ou de lima. O ácido garante que a polpa verde não se torna castanha.A polpa do abacate adequa-se muito bem para reduzir a puré, para esmagar com um garfo ou simplesmente para cortar em cubos. Condimentada individualmente, faz assim uma bela figura numa salada, mas também como pasta para barrar no pão, como molho para batatas fritas e legumes ou até como molho para massas. Mas atenção! Nunca aqueças demasiado o teu abacate, pois assim perde o seu delicioso aroma, tornando-se mesmo amargo. No caso das massas deves acrescentar o molho de abacate como se fosse um pesto.

O abacate e o ambiente

O abacate tem o seu habitat na América Central, onde já é cultivado e comido há mais de 10 mil anos. Hoje em dia o abacate é igualmente cultivado em outras regiões e países. Entre estes contam-se também o norte do México, os EUA e países como Israel, Espanha e Portugal. Ou seja, o abacate tem de percorrer um longo caminho até chegar às prateleiras da fruta de muitas regiões. Seja de Israel, de Espanha ou do México, o itinerário de transporte é longo. Podemos pensar que, para o resto da Europa, os abacates provenientes de Espanha, Portugal ou Israel têm seguramente um melhor balanço ambiental, pois o itinerário de transporte é mais curto. Mas muitas vezes não é esse o caso, pois o transporte a partir destes países realiza-se habitualmente por avião, que apresenta um balanço ecológico pior do que navios de carga refrigerados que, por exemplo, chegam do México.Além de um mau balanço em virtude do itinerário de transporte, este fruto necessita de uma quantidade incrível de água no seu cultivo. Para um quilograma de abacate são necessários até 1500 litros de água. Sobretudo num país desértico como Israel, isso significa que para cultivar abacates é necessário recorrer às reservas de água potável. Escassez de água potável e leitos de rios secos são consequências graves do cultivo de abacate.Como a procura cresce constantemente, são criadas novas plantações de abacate, e para isso, naturalmente, é necessário ganhar espaço a outras florestas e afins. Em consequência, a biodiversidade é transformada numa monocultura, o que também atinge, obviamente, a fauna e a flora. Além disso, as monoculturas levam a que as plantas sejam, frequentemente, mais atacáveis por plantas daninhas. Isso conduz à utilização de pesticidas químicos que não são inofensivos para pessoas e animais.Um último ponto que influencia negativamente o balanço ecológico do abacate é o seu grau de madureza. Para que os abacates sobrevivam o mais ilesos possível ao seu transporte, os frutos são colhidos ainda verdes. Isto, no entanto, tem como consequência que o processo de amadurecimento tenha de ser auxiliado artificialmente. Para isso, os abacates verdes são guardados em enormes armazéns climatizados. A climatização leva a que os abacates amadureçam a grande velocidade, mas para tal são necessárias quantidades imensas de energia.Longos itinerários de transporte, um consumo de água (potável) muito elevado, bem como o processamento artificial são os motivos para um balanço ecológico muito negativo do abacate.Mas não é por isso que deves abdicar por completo do consumo do «ouro verde»; no entanto, deves ter em consideração algumas coisas.

Dicas importantes para o teu consumo de abacate

  • Não tem de haver pão com abacate e guacamole todos os dias – compra com ponderação!
  • Tem atenção à proveniência!
  • Tem atenção aos selos biológico e de comércio justo!
  • Renuncia aos abacates com etiquetas «pronto a consumir», pois foram amadurecidos artificialmente.
  • Opta com mais frequência por frutas e legumes regionais!
  • Recorre ao abacate com menos frequência, dessa forma apreciá-lo-ás melhor!
© NGV mbH, Foto: TLC Fotostudio
Olá, esta é uma receita de CookingPilot!
Guardar
Receita de
Monsieur Cuisine
Pasta de abacate com salmão
MC connect
4 pessoas
fácil
Pronto em: 0:10 Std.
Pasta de abacate com salmão
© NGV mbH, Foto: TLC Fotostudio
Guardar
Receita de
Monsieur Cuisine
Blinis com creme de abacate e feta
MC plus
25 blinis
fácil
Pronto em: 0:25 Std.
Blinis com creme de abacate e feta
© NGV mbH, Foto: TLC Fotostudio
Olá, esta é uma receita de CookingPilot!
Guardar
Receita de
Monsieur Cuisine
Hambúrguer de grão-de-bico com puré de abacate
MC connect
4 doses
médio
Pronto em: 0:35 Std.
Hambúrguer de grão-de-bico com puré de abacate
© NGV mbH, Foto: TLC Fotostudio
Olá, esta é uma receita de CookingPilot!
Guardar
Receita de
Monsieur Cuisine
Nice cream de chocolate
MC connect
4 doses
fácil
Pronto em: 8:05 Std.
Nice cream de chocolate