Saltar para o conteúdo
14.10.2020

Abóbora

AdobeStock_117488537_Kuerbis_kleiner.jpg

Cozinhar com abóbora

Desde o final de agosto que podemos encontrar, aos poucos, cada vez mais abóboras nos supermercados e nos mercados semanais. Na Alemanha, por exemplo, crescem mais de 200 tipos de abóboras comestíveis. Se ainda adicionarmos as abóboras ornamentais não comestíveis, chegamos a uma variedade tremenda de abóboras. No mundo inteiro existem cerca de 800 tipos diferentes. A base para elas é constituída por não mais de cinco formas silvestres diferentes, a partir das quais foram cultivados os 800 tipos conhecidos até agora. Tudo começou quando, no século XVI, os espanhóis trouxeram a abóbora para a Europa. A abóbora tem a sua origem, portanto, na América Central e do Sul.

E se agora estás a pensar que a abóbora é o legume de outono por excelência, há algo que precisamos de te dizer: a abóbora não é um legume. Se vestirmos o fato de botânico temos de concluir que as abóboras são classificáveis como frutos de baga. Não obstante, podemos magicar acompanhamentos, empadões, sopas ou até artigos de pastelaria excecionais com ela. Na América Central e do Sul já se descobriu a deliciosa multiplicidade da abóbora há 10 mil anos. Na Europa Central, até ao século XX a abóbora ainda era prioritariamente utilizada como alimento para o gado ou até para a extração de óleo. Ainda hoje a abóbora desempenha um papel muito importante na América, sobretudo no Dia de Ação de Graças e também, naturalmente, no Dia das Bruxas.

A TRADIÇÃO DE ENTALHAR ROSTOS NUMA ABÓBORA NO DIA DAS BRUXAS E DE O ILUMINAR COM UMA PEQUENA VELA É, A PROPÓSITO, UMA TRADIÇÃO IRLANDESA. A LUZ BRUXULEANTE VISA REPRESENTAR A ALMA ASSOMBRADA DO IRLANDÊS JACK O’LANTERN. ESTE FEZ UM PACTO COM O DIABO, PELO QUE A SUA ALMA NUNCA TERÁ DIREITO A DESCANSO.

Mas basta de história. :-) Quais são então as abóboras que podemos usar e a que tipo de utilização se adequa cada abóbora? A hokkaido e a manteiga são conhecidas de toda a gente. Vamos apresentar-te aqui outros tipos saborosos e bastante apreciados.         

Hokkaido

Utilização: adequada para sopas ou como abóbora no forno

Sabor: a frutos secos

Casca: comestível

Manteiga

Utilização: deliciosa tanto crua como cozida, adequada como abóbora no forno ou para sopas

Sabor: a frutos secos-condimentado

Peso: em média 1,5 kg

Casca: comestível, mas precisa de muito tempo para ficar mole

Abóbora moscada média

Utilização: comestível crua e cozida, adequada para sopas, acompanhamentos de legumes, chutneys ou doces

Sabor: intenso, condimentado

Peso: até 5kg

Casca: comestível, mas precisa de muito tempo de cozedura para ficar mole

Abóbora-menina amarela e vermelha

Utilização: adequada para sopas, empadões ou ainda para bolos

Peso: até 30 kg 

Casca: comestível

Abóbora turbante turco

Utilização: adequada para sopas e é deliciosa recheada

Casca: não comestível

Peso: até 1,5 kg

Abóbora esparguete

Utilização: depois de cozida, a polpa parece-se com fios de esparguete individuais, pelo que também fica especialmente deliciosa com um molho de tomate

Casca: comestível, mas não costuma ser comida

Peso: até 3 kg

Abóbora-bolota

Utilização: adequada para fazer rösti ou para gratinar 

Sabor: ligeiramente adocicado e a frutos secos

Peso: até 1,5 kg

Lil’ Pump-Ke-Mon ou abóbora de micro-ondas

Utilização: pode ser confecionada no forno ou no micro-ondas, adequada para cozinhar inteira com recheio picante ou doce

Casca: comestível

Peso: até 1 kg

Patisson ou ovni

Utilização: adequada para estufar, assar ou fazer pickles

Casca: as abóboras ovni muito pequenas podem ser comidas com casca

Armazenamento: tempo de armazenamento curto

Baby bear

Utilização: adequada para sopas, bolos, purés e compotas

Peso: «miniabóbora» com um peso máximo de 1 kg

Armazenamento: tempo de armazenamento longo e é fácil de cultivar

Casca: não comestível

Baby boo

Sabor: adocicado

Utilização: adequada para consumir crua, para rechear e para gratinar

Casca: comestível

Sweet dumpling

Utilização: adequada para empadões, sobremesas ou recheada e assada no forno

Peso: 500 g

Armazenamento: tempo de armazenamento longo

Casca: comestível

Jack be little

Utilização: adequada para assar

Sabor: doce e a frutos secos, faz lembrar castanhas

Peso: 400 g, é a mais pequena das «miniabóboras»

Casca: comestível

Howden

Utilização: adequada para sopas e bolos

Peso: até 15 kg

Sabor: doce e a frutos secos

Casca: muito rija e normalmente não comestível

Pink jumbo banana

Utilização: adequada para fazer pão e para empadões, purés e sopas

Sabor: doce e a frutos secos

Peso: até 30 kg

Casca: não comestível

Abóboras para o Halloween – inclui os tipos: neon, rocket, spirit ou aspenUtilização: idealmente como decoração ;-)

Sabor: muito neutro e algo enfadonho

Casca: não comestível

Courgette

A courgette pertence à família das abóboras. Quanto mais pequena e jovem for, melhor é o seu sabor. Experimenta também a courgette amarela. É igualmente muito saborosa.

Caso pretendas utilizar uma abóbora com a casca, tem a preocupação de a comprar com qualidade biológica, dessa forma evitarás possíveis pesticidas que se encontrem na superfície e, eventualmente, dentro da casca.

Se quiseres cultivar a tua própria abóbora no jardim, deves jogar pelo seguro e comprar as sementes numa loja especializada. Elas não devem ser plantadas nas proximidades de abóboras ornamentais, courgettes, pepinos ou melões. Um possível cruzamento através dos pólenes destas plantas tornará a tua nova cultura incomível. Se pegares nas pevides da tua abóbora comprada e não estiveres seguro de que os teus vizinhos plantem, ou não, pepinos, ou semelhante, tens obrigatoriamente de provar a abóbora no estado cru antes de a confecionar. Não te esqueças: se a abóbora tiver um sabor amargo, é porque é venenosa! Se tiver um cheiro desagradável e não ligeiramente adocicado e aromático, é venenosa! Mas antes de deitares todas as tuas pevides no lixo, experimenta torrá-las no forno! As pevides de abóbora são ricas em ácidos gordos ómega 6, vitamina E, potássio, proteínas, magnésio, ferro e zinco. E, sobretudo, têm um sabor bom e conferem a cada prato a nota que faltava. A preparação das pevides também é muito simples. Demolha as pevides em água durante um dia e em seguida limpa-as, para remover todas as fibras. Em seguida deixa secar as pevides durante um dia. Depois podes condimentar as pevides a gosto, sejam salgadas com sal marinho e alho ou doces com mel e canela. E zás, rapidamente ficas com um petisco delicioso!

Sejam deliciosas pevides torradas, uma saborosa sopa feita com a polpa ou uma bonita decoração outonal no jardim: utilizar a abóbora e confecionar pratos deliciosos com ela é sempre uma alegria. E o que seria do outono sem a abóbora?

Agora, toca a entalhar e a cozinhar, o resultado vai ser bom! :-)

© NGV mbH, Foto: TLC Fotostudio
Guardar
Receita de
Monsieur Cuisine
Sopa de abóbora
MC plus
4 pessoas
médio
Pronto em: 0:55 Std.
Sopa de abóbora
© NGV mbH, Foto: Manuela Rüther
Olá, esta é uma receita de CookingPilot!
Guardar
Receita de
Monsieur Cuisine
Empadão doce de abóbora com nozes
MC connect
4 doses
fácil
Pronto em: 1:45 Std.
Empadão doce de abóbora com nozes