Saltar para o conteúdo
  • Informação importante

    Caro cliente, quer usufruir de todas as funcionalidades incríveis da Monsieur Cuisine connect e receber receitas novas?

    A nossa recomendação: transfira agora a mais recente atualização do software. É fundamental instalar esta atualização antes da primeira utilização da máquina. Recomendamos expressamente esta atualização igualmente aos clientes já existentes. Encontra uma instrução mais pormenorizada sobre o procedimento aqui.

29.04.2021

Armazenar e conservar corretamente ervas aromáticas

Kraeuter_kleiner.jpg

É tudo tão verde

A época do verão é também a época das ervas aromáticas de jardim. Tudo começa agora a crescer e a florir, e são sobretudo as ervas aromáticas frescas que chegam de novo à nossa mesa. No supermercado a seleção de ervas aromáticas frescas também se torna novamente maior. É essa a grande vantagem do verão que se aproxima. No inverno temos de recorrer a uma oferta um pouco mais pequena de ervas aromáticas no supermercado. Mas quem já começar a planear bem agora também pode aperfeiçoar os seus pratos com as suas próprias ervas aromáticas no inverno e conferir-lhes o toque herbal correto. Neste artigo mostramos-vos como podem armazenar corretamente ou até conservar as vossas ervas aromáticas.

Importante, antes de começar

Antes de deitarem mãos ao trabalho devem saber e ter em consideração algumas coisas.

1. Atenção ao comprar e ao colher:
Só as ervas aromáticas saudáveis devem ser confecionadas e conservadas. As folhas amarelas ou murchas têm de ser removidas. As ervas que já começam a ficar gordurosas podem ser logo deitadas fora, pois não se adequam para a confeção.

2. Os aromas dissipam-se:
As ervas aromáticas devem ser confecionadas rapidamente após a colheita ou a compra, para não perderem os seus aromas.

3. As ervas aromáticas não são flores cortadas:
Só algumas, poucas, ervas aromáticas se adequam a um armazenamento de curto prazo num frasco de vidro. O ideal é recorrerem logo às formas de armazenamento descritas neste artigo.

4. Picar corretamente as ervas aromáticas:
Recomendamos que piquem as ervas com uma faca própria para cortar ervas aromáticas. As ervas aromáticas são mais fáceis de picar quando estão húmidas, pelo que devem ser lavadas uma vez antes de serem picadas. Por exemplo, arranquem as folhas de salsa crespa dos talos. Apertem um pouco as folhas arrancadas com uma mão e manejem a faca com a outra mão. Para as ervas adequa-se o corte oscilante. Neste apoia-se a ponta da faca e deixa-se então a lâmina rolar para trás, isto é, para a pega da faca. Este gesto repete-se as vezes que forem necessárias até as ervas terem a finura desejada. Em seguida deitem as ervas num pano de cozinha e torçam-no. O sumo escorrido, por exemplo, da salsa, pode muito bem ser recolhido e acrescentado com sal, pimenta e azeite. Dessa forma obtêm rapidamente um molho para salada. ;-)

Secas ao ar ou congeladas?

Há vários métodos para também poder desfrutar dos aromas inteiros de cada erva aromática num momento posterior. Distinguimos o armazenamento no frigorífico ou no congelador, bem como a conservação através da secagem ou da adição de óleo ou vinagre.

  • Armazenamento no frigorífico

Este método de armazenamento pode prolongar a frescura das ervas aromáticas em aproximadamente duas semanas. Para tal as ervas não devem ser picadas ou arrancadas, mas sim envoltas num pano húmido ou salpicadas com um pouco de água e colocadas numa lata reutilizável. As ervas mais sensíveis, como hortelã-pimenta, cebolinho, salsa, ligústico ou erva-cidreira, mantêm-se dessa forma frescas durante um máximo de quatro dias. As ervas mais robustas, como alecrim, salva e tomilho, mantêm-se frescas até dez dias.

  • Armazenamento no congelador

Quem se decidir pelo armazenamento das ervas aromáticas no congelador pode desfrutar de aromas frescos de ervas até daqui a um ano.
Para tal, as ervas podem ser picadas na finura desejada e simplesmente deitadas num saco de congelação. Está feito.
Muito prática é a divisão em porções numa cuvete. Para isso só têm de deitar as ervas picadas nas covinhas da cuvete, encher com um pouco de água e deixar congelar, e ficam com os vossos próprios cubos de ervas. Podem produzir as vossas próprias misturas de ervas, de acordo com o vosso gosto, ou congelar as ervas por variedade. Se as ervas congeladas forem utilizadas ao cozinhar, é importante que só sejam adicionadas no final do processo de cozedura. Dessa forma manterão os seus aromas, não os perdendo durante a cozedura.
Quem também desejar utilizar ervas aromáticas de forma decorativa, deve recorrer a ervas com talos, como tomilho, louro ou alecrim. Para isso deitem os talos inteiros num prato e coloquem este no congelador, desse modo os talos mantêm a sua forma. Também os raminhos de ervas podem ser atados e congelados inteiros.
Para o armazenamento no congelador adequam-se sobretudo ervas como salva, ligústico, coentros, endro, orégãos, folhas de funcho, estragão, cebolinho ou cerefólio. A salsa também se adequa, mas aqui deve recorrer-se a salsa lisa, pois esta mantém mais aroma após a congelação do que a salsa crespa. Quem adora manjericão e deseja manter o aroma inteiro e a bonita cor verde, deve abdicar de o picar. É melhor arrancar individualmente as folhas e congelá-las inteiras. Assim as folhas não ficarão castanhas e serão tão deliciosas depois de descongeladas como eram antes.

  • Conservação através da secagem

Um procedimento muito antigo e tradicional para tornar as ervas aromáticas conserváveis é a secagem. Para este método de conservação adequam-se particularmente bem: alecrim, tomilho, louro, ligústico, segurelha, hortelã, artemísia, erva-cidreira e manjerona. Não tão adequadas são, entre outras, o manjericão, a borragem e a salsa.
Como se faz? É muito simples!
Comecem por sacudir cuidadosamente as ervas ou por limpá-las com um pano. Não se deve lavá-las com água, pois isso prolongaria o processo de secagem, o que atenuaria os aromas das ervas. Agora atem os ramos de ervas em pequenos buquês (não mais de 10 ramos). Estes são então pendurados de cabeça para baixo. O melhor local para isso é quente, arejado, seco e não recebe raios solares diretamente. Ao fim de aproximadamente 1-2 semanas, os buquês de ervas estão secos. Quem não quiser esperar duas semanas pode dar uma ajuda com o seu forno. ;-) Para isso os ramos de ervas são distribuídos por um tabuleiro de ir ao forno e aquecidos no forno a 30 ºC. Para que a humidade possa sair das ervas, a porta do forno deve estar ligeiramente aberta. Pode utilizar-se, por exemplo, uma colher de pau para ajudar nisso. Dependendo do desempenho do forno e da frescura das ervas, a duração só pode ser apurada pela experiência. As ervas estão completamente secas quando uma folha se desfaz ao ser friccionada entre os dedos. Mas pode contar-se com um tempo de secagem de três horas. As ervas secas devem ser armazenadas num local hermético, seco e escuro, dessa forma podem conservar-se até um ano. Se ao cozinhar forem utilizadas ervas secas, estas devem ser deitadas na panela logo durante o processo de confeção, para poderem desenvolver todo o seu aroma. As ervas secas resultam muito bem se misturadas com o vosso sal favorito. Com uma embalagem bonita, constituem um presente perfeito para levar para uma churrascada.

  • Conservação através de óleo e vinagre

Muitas ervas podem ser tornadas conserváveis não apenas através de secagem ou de congelação. Também a adição de óleo ou de vinagre pode ser usada para a conservação. Muito adequados para isso são o manjericão, os orégãos, o tomilho e a salva.
A única coisa de que precisam são ervas frescas, um bom óleo ou um bom vinagre e, naturalmente, garrafas ou frascos com tampa. Quando quiserem produzir um óleo de ervas aromáticas devem picar um pouco as ervas, para que os aromas das ervas possam ser mais bem transmitidos ao óleo. Quem desejar preparar um vinagre de ervas não deve tratar previamente as ervas e deixá-las inteiras. Só têm de deitar as vossas ervas no recipiente desejado e regá-las com vinagre ou óleo. As ervas têm de ficar cobertas pelo líquido. Também aqui não há limites para a vossa criatividade e podem adicionar outros ingredientes fantásticos, como alho, malagueta ou pimenta. Um óleo de ervas delicioso ou um vinagre de ervas delicioso são muitas vezes a cereja no topo do bolo para um molho de salada e resultam muito bem como presente.

Seja como cubos de ervas, secas sob a forma de buquês ou mergulhadas em óleo, cada método tem as suas vantagens e de cada vez conhecemos uma nova multiplicidade de aromas em cada erva aromática. Naturalmente, selecionámos também para vocês algumas deliciosas receitas para o Monsieur Cuisine, a partir das quais podem transformar as vossas ervas aromáticas favoritas em saborosas iguarias.
Divirtam-se muito a experimentar e a desfrutar da enorme variedade de ervas aromáticas.

© © NGV mbH
Guardar
Receita de
Monsieur Cuisine
Sal de ervas
MC plus
4 copos
fácil
Pronto em: 3:10 Std.
Sal de ervas
© © NGV mbH, Foto: TLC Fotostudio
Guardar
Receita de
Monsieur Cuisine
Creme de ervas vegano
MC plus
1 frasco
fácil
Pronto em: 2:15 Std.
Creme de ervas vegano
© © NGV mbH, Foto: TLC Fotostudio
Olá, esta é uma receita de CookingPilot!
Guardar
Manteiga de ervas
MC connect
10 doses
fácil
Pronto em: 0:10 Std.
Manteiga de ervas
© © NGV mbH
Guardar
Receita de
Monsieur Cuisine
Pistou
MC Plus
1 frasco
fácil
Pronto em: 0:05 Std.
Pistou