Saltar para o conteúdo
  • Trabalhos de manutenção

    A nossa página encontra-se atualmente em modo de manutenção. Voltaremos a estar à sua inteira disposição muito em breve.

28.08.2020

É a época dela – Beterraba vermelha

AdobeStock_169598002-Rote_Bete_kleiner.jpg

A raiz milagrosa

Vermelho-escura, redonda e terrosa – é, provavelmente, a melhor forma de descrever uma beterraba vermelha. Tudo começa em setembro, quando podemos encontrar estas raízes vermelhas frescas nos supermercados e nos mercados semanais. Quem até agora só tiver conhecido e comido este legume em frasco ou embalado a vácuo em película, deve mesmo experimentar o sabor de uma beterraba vermelha fresca. Este legume é muito apreciado sobretudo no norte e no leste da Europa. Graças à sua magnífica cor vermelha e ao seu intenso efeito corante, a beterraba é muito utilizada na produção de alimentos. O seu corante natural betanina é conhecida no setor por «E 162» e confere às compotas, aos sumos e às guloseimas uma bela cor vermelha.

Beterraba vermelha:

1.... tem um efeito regenerador do sangue.

2.... pode baixar a tua pressão arterial.

3.... ajuda o teu sistema imunitário.

4.... protege as tuas células corporais dos radicais livres.

5.... impede inflamações.

6.... melhora prestações desportivas.

7.... pode baixar o teu nível de colesterol.

8.... tem bom aspeto. ;-)

9.... não é cara.

Simplesmente saudável

Esta raiz está cheia de nutrientes e propriedades excelentes. O seu corante betanina não proporciona apenas cores fantásticas à indústria alimentar, é também bom para o teu sistema imunitário. A betanina fortalece as tuas defesas, oferece proteção em relação aos radicais livres e protege os vasos sanguíneos e o coração. O metabolito secundário das plantas betaína, parente da betanina, fortalece os hepatócitos e a vesícula biliar. Além disso, a betaína ajuda também na redução do nível de colesterol. Em virtude do alto teor de nitrato da beterraba vermelha, o seu consumo tem um efeito positivo em caso de pressão sanguínea demasiado elevada. Ao fim de uma hora a tua pressão sanguínea já está claramente mais baixa e pode aguentar-se assim quase um dia inteiro. O nitrato provoca o alargamento dos vasos sanguíneos e faz com que, em caso de esforço físico, a necessidade de oxigénio nos músculos diminua, o que pode levar a um aumento do rendimento no desporto. Podemos até dizer que a beterraba vermelha é um produto dopante natural. :-) Mas a beterraba vermelha não baixa apenas a tua pressão sanguínea, ela tem mesmo um efeito regenerador do sangue, pois 200 gramas de beterraba vermelha já contêm 166 microgramas de ácido fólico e 1,8 miligramas de ferro. Isso já constitui 40 % da dose diária recomendada de ácido fólico. Portanto, a beterraba vermelha é, no verdadeiro sentido da palavra, uma autêntica raiz milagrosa! Além das muitas vantagens que os inúmeros nutrientes importantes trazem consigo, este bolbo vermelho é ainda muito amigo da silhueta. 100 gramas de beterraba vermelha impressionam, pois não apresentam mais de 49 quilocalorias e 8,8 gramas de hidratos de carbono.

Dicas de preparação

Seja num smoothie, numa salada, numa sopa ou numa mistura de legumes no forno, a beterraba vermelha faz sempre uma figura deliciosa. Ela não só é pobre em calorias como confere um pouco de cor ao prato. Recomenda-se que se combine sempre este legume com outros alimentos ricos em vitamina C, por exemplo, com o sumo de um limão. É que o nitrato contido na beterraba poderia transformar-se na substância cancerígena nitrosamina. A vitamina C impede-o e bloqueia a transformação!Antes de começares a preparação da beterraba vermelha, o ideal é calçares luvas e cortá-la sobre uma base fácil de limpar, pois o corante é obstinado e deixa uma impressão duradoura. ;-) Podes contornar isso cozendo a beterraba vermelha antes de a cortares. Nesse caso deve ser manuseada como uma batata cozida. Ao fim de aprox. 30 minutos em água fervente, podes passar os bolbos por água corrente fria e ficam logo fáceis de descascar e de cortar, sem que o corante vermelho fique obstinadamente entranhado em tudo.A propósito: as folhas cheias de nutrientes da beterraba vermelha podem muito bem ser confecionadas como acelga ou espinafre, constituindo assim um acompanhamento delicioso. Além disso, as folhas têm a propriedade de atenuar o hálito a alho.

Mas, atenção! Nem todos a conseguem tolerar.

Infelizmente, esta raiz milagrosa não é para todos. As pessoas que sofrem de gota ou de reumatismo não toleram, simplesmente, o ácido oxálico deste bolbo fantástico. Devem abdicar sobretudo do consumo das folhas, pois nelas o teor de ácido oxálico é várias vezes maior do que na própria raiz. O ácido oxálico engrossa o sal mineral cálcio, pelo que a sua assimilação pode ser prejudicada, o que torna o cálcio insolúvel para o intestino. A beterraba vermelha contém menos ácido oxálico se for cozida. As raízes cruas devem, portanto, ser consumidas moderadamente, por exemplo, numa salada ou num smoothie.

Outras dicas importantes:

  • Encontras beterraba vermelha fresca a partir de setembro em supermercados, mercados biológicos ou lojas biológicas.
  • A raiz deve estar sólida ao toque e a casca intacta.
  • As raízes grandes podem ser lenhosas. Compra antes raízes pequenas, são mais tenras!
  • A beterraba vermelha fresca e não preparada conserva-se até duas semanas no frigorífico ou numa despensa fria.
© NGV mbH, Foto: TLC Fotostudio
Olá, esta é uma receita de CookingPilot!
Guardar
Receita de
Monsieur Cuisine
Pataniscas de beterraba vermelha e cenoura com ricota de ervas
MC connect
4 doses
médio
Pronto em: 0:45 Std.
Pataniscas de beterraba vermelha e cenoura com ricota de ervas
© NGV mbH, Foto: TLC Fotostudio
Olá, esta é uma receita de CookingPilot!
Guardar
Receita de
Monsieur Cuisine
Sopa de beterraba com raiz-forte
MC connect
4 doses
fácil
Pronto em: 0:38 Std.
Sopa de beterraba com raiz-forte